Docentes da Universidade de Haia participam de visita técnica na sede do Senai-SP

A A A

Profissionais integram o programa de cooperação entre as duas instituições, que tem como um de seus objetivos a internacionalização dos cursos do Senai-SP

24/04/2017

Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp

“Não sabia o que esperar quando cheguei”, afirma em bom português Claudia Germano, professora do curso de Química da Universidade de Haia. Há 15 anos na Holanda, a moçambicana disse estar impressionada com a receptividade do povo brasileiro, a metodologia de ensino do Senai-SP e a qualidade dos laboratórios, equipados com o que há de mais moderno no mundo.

O professor Johan Krop, fundador do curso de Tecnologia de Processos e Alimentos da entidade holandesa, também destacou a infraestrutura do Senai-SP e seu alcance. “É uma grande instituição, pelo seu alcance territorial e também pelos diferentes níveis de ensino que abrange”, afirmou o holandês, referência mundial em engenharia de alimentos.

Desde a semana passada no Brasil, os docentes participaram de palestras, reuniões com as áreas técnicas e visitas a unidades do Senai-SP. Eles integram o programa de cooperação técnica entre a entidade brasileira e a universidade europeia, cujo memorando de entendimento foi assinado em agosto de 2015, em São Paulo, pelo presidente da Fiesp, do Sesi-SP e do Senai-SP, Paulo Skaf, e pela ministra de Educação, Cultura e Ciência da Holanda, Jet Bussemaker. Desde a ocasião, as entidades da indústria paulista e as instituições holandesas têm trabalhado para estreitar as relações. Uma das ações é o acordo de intercâmbio de estudantes e docentes com a Universidade de Haia.

Um dos pontos que mais chamaram a atenção da professora Germano foi a metodologia de ensino. “Achei interessante a maneira informal como as aulas são desenvolvidas e ver que o aluno tem tempo para executar as tarefas”, numa clara alusão ao conceito adotado pela entidade: o Aprender Fazendo.

Além da estrutura, o professor Krop destacou as habilidades técnicas e interpessoais dos docentes do Senai-SP. “São profissionais capacitados tecnicamente, mas com grande habilidade na flexibilização de processos e personalização das aulas, sempre de modo amigável e receptivo”, elogiou.

Foto: Divulgação/Senai-SP
Ao centro, Johan Krop e Claudia Germano, da Universidade de Haia, durante visita ao Senai-SP