• Capital
  • Grande São Paulo
  • Interior

Mais dez projetos serão desenvolvidos com o apoio do Senai-SP no Edital de Inovação para a Indústria

A A A

Assinatura do Ciclo 2 de 2017 do edital foi realizada na tarde desta terça-feira (06/02), em São Paulo

06/02/2018

Isabela Barros, Agência Indunet Fiesp

Foi realizada, na tarde desta terça-feira (06/02), em São Paulo, a cerimônia de assinatura do Ciclo 2 de 2017 do Edital de Inovação para a Indústria do Senai-SP. Foram aprovados dez projetos que serão desenvolvidos com o suporte da instituição. Os trabalhos começam no próximo dia 19 de fevereiro. Estiveram presentes na cerimônia o diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, o diretor técnico, Ricardo Terra, e o gerente de Inovação e Tecnologia, Osvaldo Maia,

“Saber sem fazer não é saber, como diz um provérbio chinês”, afirmou Vicioni. “Aprender fazendo é um movimento extremamente importante”, explicou. “Educação e apoio à tecnologia são fundamentais para o desenvolvimento local e para o crescimento global”.

Vicioni destacou o “casamento bem sucedido dos meios de formação profissional com os meios de produção”. “É importante que os alunos tenham liberdade para criar soluções para a indústria, é na sala de aula que as coisas acontecem”, disse. “A nossa satisfação é ver o sucesso de cada um de vocês”.

De acordo com Terra, o Senai-SP quer dar “as respostas que os empresários brasileiros precisam ter”.

Sem dramas para estacionar

O Baliza Fácil, de São José dos Campos, é um dos projetos participantes do edital e consiste num dispositivo usado com aplicativo que ajuda os motoristas a estacionarem. CEO da empresa, Sérgio Miranda conta que ficou sabendo da iniciativa após participar de um programa de aceleração.

“Já começamos, todo mundo já fez baliza no Senai”, brinca Miranda. “Encontramos uma equipe muito dedicada e sabemos que o Senai vai ajudar a profissionalizar o serviço, corrigir as deficiências”, disse. “Queremos ter uma interface mais intuitiva para o aplicativo e aumentar o tempo de vida da bateria do sensor que fica no carro”.

Cinto de segurança

Outra empresa participante é a Danval, da capital paulista, com um sistema de monitoramento do uso do cinto de segurança por passageiros em ônibus de viagem e vans escolares. A fabricante foi fundada em 1954 e produz peças e soluções para veículos diversos, mas só agora decidiu investir no sistema com foco no cinto de segurança.

“O motorista é avisado sobre o uso do cinto pelos passageiros numa estrutura sem fios, via wireless”, explicou a diretora administrativa da Danval, Giuliana Savattero. “Uma peça acoplada ao cinto passa a informação ao motorista”.

Segundo ela, o apoio do Senai-SP nessa etapa inicial “tem sido ótimo”. “Com a ajuda do Senai-SP, vamos conseguir desenvolver o protótipo do nosso sistema”.